ATUALIZAÇÕES
recent

Estilos musicais na igreja. O que você acha?


Graça e Paz brotheres.

Um assunto que é bem comentado em qualquer lugar, qualquer igreja e qualquer pessoa. Cristão ou
não cristão.
Vou abordá-lo agora para que possamos interagir e conhecer a opinião de cada um.

Mas já digo aqui e agora mesmo. Respeite o comentário do seu irmão, não crie intriga a toa.

Deus não se agrada da desavença entre seus filhos por causa de porfias idiotas.

Então vamos lá?
Convide seus amigos para comentar também, compartilhando nosso conteúdo nas redes sociais que estão no início do post e no final do post.

Hoje em dia o mundo cristão está se atualizando. Louvor, dança, teatro e todas as formas possíveis para adorar a Deus e espalhar seu evangelho.
Na questão músical, muito é criticado sobre os estilos músicais que são usados para o louvor. Rock, reggae, pagode, forró, sertanejo universitário, rap, hip hop, eletrônica, entre outros. Os mais tradicionalistas não aceitam os novos ritmos em seus templos, e resistem à atualização. Outras igrejas já aderiram a esse 'upgrade' e conseguiram conciliar seus gostos.

Mas, muito mais do que apenas aceitação de novos estilos, isso tem sido encarado por muitos como
"o mundo entrando na igreja", as falsas doutrinas, os falsos profetas, indecência e etc... causando um certo desentendimento entre as igrejas que aderiram e as tradicionalistas.

A ignorância chega a ser tão grande que, ao invés de pedirem conselho para Deus, vão logo expressando suas opiniões sem consentimento espiritual, falando dos que os olhos vêem, e acabam causando uma 'bela' de uma intriga no meio cristão.

Pessoas abrindo a boca, dizendo que música eletrônica edifica ninguém, que funk gospel não tem
unção e é apenas obra carnal, pessoas falando que rock é do capeta e que reggae gospel apoia a maconha. Dizendo até que forró gospel é pura desculpa pra dançar agarradinho, com segundas intenções, e que Deus não aprova nada disso.

Ninguém é obrigado a gostar de nada. O nosso dever é espalhar o evangelho, não importa quando, onde ou como. O importante é que a palavra seja entregue aos que necessitam.

Opinião do blogueiro:

Minha opinião é simples e espero que entendam.

Como citei acima, ninguém é obrigado a gostar de nada. Você não é obrigado a gostar do meu rock e pode até achar que ele não é espiritual coisa nenhuma. Tudo bem, respeito a sua opinião, porém, sua crítica ofensiva não se caracteriza respeito ao meu gosto, e eu sim, sinto Deus mais perto de mim quando ouço esse estilo. Estranho, não é? .. Talvez para muitos sim, mas para mim não.

Na bíblia existe uma palavra que se encaixa perfeitamente nessa questão:
"Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus." Romanos 12:2


Eu sustento um argumento em que "se nós, que éramos do mundo, fomos convertidos, porque não podemos converter os ritmos ou as músicas também?.. Porque a essência da música é a sua letra, se convertemos a letra e a consagramos, está tudo santificado."

Citei acima também sobre o pensamento de muitas pessoas sobre os estilos músicais como: 'funk gospel não tem unção e é apenas obra carnal'. Quero dizer que é mais fácil um ex funkeiro convencer um funkeiro a ir para a igreja do que qualquer outro crente tradicionalista. Tudo, irmãos, é na base da conversa. Estamos aqui para servir, não para ser servido. Temos que atender e não exigir. Essa fase da atualização é obra de Deus sim. Usando novas estratégias para salvar e ganhar almas do mundo. Pense nisso. 

Ninguém é modificado de uma vez para deixar o funk e começar a ouvir corinho da harpa. Tudo é adaptação. Então, para que melhor um funkeiro sair do mundo da prostituição e lascívia que o funk atual apresenta, e ouvir funk que fala de um Deus que tudo transforma. 

Temos que assumir que muitos jovens aproveitam essas festas para pegar menininhos e menininhas pelos cantos, mas esses ainda não foram transformados, e os que são sinceros consigo mesmos e com Deus sabem que tem um Homem lá no céu que está olhando tudo o que fazemos aqui embaixo, e se estamos em tal evento, é em nome dEle e não para nosso deleite.

Para resumir. Eu tenho plena convicção de que não é o ritmo que transforma, mas o espírito santo de
Deus. Nossa adoração tem que ser sincera independente se estão tocando Meu barquinho, Depois da Guerra ou Festa de crente, pois o espírito repara nosso coração e não nossa boca, "pois a boca fala do que está cheio o coração." Mateus 12:34

Aqui estão alguns versículos que podem ajudar meditar sobre o assunto:

I Coríntios 7:24, Salmos 150:6, Romanos 12:2, Salmos 33:3, 2 Samuel 6:21, Êxodo 15:20.

Por favor. Coopere com nosso blog e comente a publicação.
Compartilhe nas redes sociais para que outros tenham acesso a ela.

VIDEO EM DESTAQUE

Tecnologia do Blogger.